ỌRÚNMÌLÁ E AS OUTRAS DIVINDADES

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Ninguém deve confundir o mundo tentando igualar as divindades com Olódùmarè. Òrúnmìlà tem revelado claramente que todas as divindades menores foram criadas por Olódùmarè para assisti-lo na gerência do sistema planetário e sem exceção, todos deviam total lealdade Ele.

As divindades consideram a si mesmas como servas de Olódùmarè, mandadas ao mundo para ajudá-lo a fazer um lugar mais habitável para colocar os mortais, de modo que através deles , o homem possa ser capaz de apreciar como Olódùmarè ama suas criaturas.

Quando por exemplo uma sacerdotisa da divindade das águas (Olókun), tomando-se possuída, ela começa por cantando em louvor de Olódùmarè e reconhecendo sua supremacia acima de toda a existência. Quando Ògún (o engenheiro divino) possui seu sacerdote, ele também começa por pagando tributo a Deus todo poderoso e agradecendo-o por fazer o possível por ele (Ògún) para contar aos mortais que eles não deveriam saber de outro modo sobre eles mesmos.

O mesmo é verdade para a divindade da eletricidade (Sàngó), e para cada uma das 200 divindades criada por Olódùmarè. Eles são ditos para serem membros do conselho Divino de Olódùmarè Do mesmo modo, o sacerdote de Ifá começa sua atividade reconhecendo Olódùmarè como o repositório de todo conhecimento e sabedoria.

Não permitir ao homem por isso pensar que, prestar serviços através de alguma das divindades, é ser um substituto dos serviços de Deus. Òrúnmìlà tem revelado para seus seguidores que as primeiras criações de Olódùmarè são as divindades menores. Eles são os primeiros habitantes do céu levando uma vida normal, cada um na imagem que se pareciam como próprio Olódùmarè.

A Morte é uma das criações favoritas de Olódùmarè e ele era o que buscava a argila com que a imagem dos homens era moldada depois daquelas divindades. Depois da moldagem da figura humana em barro, era tempo de lhe dar o hálito de vida, de modo que Olódùmarè falou a todas as divindades que estavam presentes para fecharem seus olhos.

Todos fecharam seus olhos, exceto Òrúnmìlà, que simplesmente cobriu sua face com seus dedos sem cobrir seus olhos. Quando Olódùmarè estava insuflando o sopro de vida no homem, descobriu que Òrúnmìlà estava assistindo-o .

Quando Òrúnmìlà tentou fechar seus olhos depois de ter sido pego espionando, Deus chamou-o para manter seus olhos abertos já que nada espetacular era feito sem uma testemunha viva. Este é o porquê Òrúnmìlà é chamado Elerin pin ou Òrísá (Testemunha do próprio Olódùmarè).

Segundo a criação do homem, era tempo para Olódùmarè talhar a terra para ser habitada. Mas o homem era também ainda muito jovem e inexperiente nos caminhos do céu para ser exposto à tarefa de estabelecer um novo domicílio com seu próprio discernimento. Olódùmarè por isso preferiu mandar as divindades a terra para estabelecer com seu próprio discernimento e experiência.

Gostaria de Receber conteúdos exclusivas Yoga, Meditação?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado

Gostaria de Receber conteúdos exclusivos em primeira mão?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado